Se você fazia abdominal pensando em perder gordura da barriga, esquece! Conheça os melhores tipos de exercícios para ter uma abdômen tanquinho. 

Um dos maiores desejos, quando se fala de resultado estético, é uma barriga no estilo tanquinho. Porém, esse objetivo não é tão simples assim de ser atingido, principalmente nos dias de hoje em que o ser humano tem acesso a alimentos muito calóricos de forma facilitada e um estilo de vida pouco ativo. 

Fomos geneticamente desenhados para sermos ativos e ingerir uma quantidade de alimentos relativamente baixa, e para que os nossos ancestrais pudessem sobreviver ao longo período de jejum, o corpo armazena energia em forma de gordura (Gentil, 2014). 

Mesmo com a mudança no estilo de vida, esse padrão de estoque de energia ainda permanece o mesmo. Além disso, cada pessoa tem uma forma própria de distribuição do tecido adiposo. Umas pessoas armazenam mais gordura no tronco, quando outras possuem mais gordura nos membros inferiores, por exemplo. 

É importante destacar que são variadas as causas do sobrepeso e obesidade, como ansiedade, excesso alimentar, gestação, uso de anticoncepcional, hereditariedade e motivos diversos (Porto et Al, 2002). 

QUAIS OS MELHORES EXERCÍCIOS PARA CONSEGUIR O ABDÔMEN TANQUINHO?

Falando de uma barriga sarada ou abdômen tanquinho, primeiro é necessário reduzir a capa de gordura que fica na frente do nosso abdômen para que os músculos fiquem mais aparentes. Além disso, é muito importante destacar que o nosso corpo não escolhe de onde ele vai retirar a gordura, e que o processo de emagrecimento, para ser duradouro e saudável deve ser sistematizado, e realizado com o acompanhamento de profissionais da saúde, como Nutricionistas e Profissionais de Educação Física. 

Pesquisadores da área do emagrecimento, investigaram diversas abordagens, e ao analisar os processos fisiológicos dos diversos tipos de treino e seus resultados práticos, é possível concluir que a melhor opção são os treinos intensos, especialmente os intervalados. Esses treinos produzem alterações mais positivas para pessoas que desejam reduzir a quantidade de gordura corporal a longo prazo.

CHAMA NO HIIT!

Um tipo de treinamento que está ficando cada vez mais popular é o HIIT, sigla em inglês de High Intensity Interval Training, que significa Treinamento Intervalado de Alta Intensidade. Os protocolos de treino consistem em estímulos realizados próximos à intensidade associada ao VO2máx (IVO2máx), intercalados por períodos de repouso passivo ou ativos, mas em uma intensidade bem baixa. 

A principal explicação para a maior eficiência dos Treinamentos Intervalados de Alta Intensidade no emagrecimento é o aumento no gasto energético pós exercício, que está relacionado ao consumo excessivo de oxigênio pós-exercício, comumente conhecido pela sigla em inglês EPOC (excess postexercise oxygen consumption). Esta elevação do consumo de oxigênio é proporcional à intensidade e à duração da atividade, sendo a intensidade o seu principal determinante (Yoshioka, 2001).

Os protocolos de treinos são recomendados de acordo com o nível de atividade do praticante, mas podem ser realizado na corrida, natação, ciclismo e exercícios funcionais. O mais importante é garantir que os estímulos serão intensos, de acordo com o condicionamento físico de cada aluno, e essa intensidade pode ser acompanhada pela Frequência Cardíaca, e até por uma escala de percepção subjetiva de esforço. 

ALGUNS PROTOCOLOS

  • TABATA: 8 séries de 20s de estímulo, com 10s de intervalo de descanso entre os estímulos. 
  • GIBALA: 10 séries de 1 min de estímulo, com 1 min de intervalo de descanso entre os estímulos. 
  • TRAPP:  20 séries de 24s de estímulo, com 36s de intervalo de descanso entre os estímulos. 

Portanto, para uma abdômen tanquinho, o primeiro passo é praticar exercícios que favoreçam o emagrecimento. Mas você pode, e deve continuar fazendo exercícios que fortalecem o abdômen, para os benefícios de uma melhor postura, proteção da coluna, e melhor execução dos movimentos, é só não esperar que a sua barriga vá diminuir por isso. 

 

Referências Bibliográficas: 

Gentil, Paulo. Emagrecimento: Quebrando Mitos e Mudando Paradigmas (2014). Kindle Edition. 

Gibala MJ & Jones AM. (2013). Physiological and performance adaptations to high-intensity interval training. Nestle Nutr Inst Workshop Ser 76, 51-60.

Porto MCV, Brito IC, Cala ADF, Amoras M, Villela NB & Araújo LMB. (2002). Perfil do obeso classe III do ambulatório de obesidade de um hospital universitário de Salvador, Bahia. Arq Bras Endocrinol Metab 46, 668-673.

Tabata I, Irisawa K, Kouzaki M, Nishimura K, Ogita F & Miyachi M. (1997). Metabolic profile of high intensity intermittent exercises. Med Sci Sports Exerc 29, 390-395.

Trapp EG, Chisholm DJ, Freund J & Boutcher SH. (2008). The effects of high-intensity intermittent exercise training on fat loss and fasting insulin levels of young women. Int J Obes (Lond) 32, 684-691.

Yoshioka M, Doucet E, St-Pierre S, Almeras N, Richard D, Labrie A, Despres JP, Bouchard C & Tremblay A. (2001). Impact of high-intensity exercise on energy expenditure, lipid oxidation and body fatness. Int J Obes Relat Metab Disord 25, 332-339.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu